setembro 28, 2014

Lenda da tribo indígena Sioux.


     Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram: - Nós nos amamos e vamos nos casar. Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta que ficaremos sempre juntos, que nos assegure estar um ao lado do outro até a morte. Há algo que possamos fazer? E o velho, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse: - Há o que possa ser feito, ainda que sejam tarefas muito difíceis. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono; lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim viva! 
Os jovens se abraçaram com ternura e logo partiram para cumprir a missão. No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves. O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido. - E agora, o que faremos? Os jovens perguntaram. - Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres. Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros. A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar. Então o velho disse: - Jamais esqueçam do que estão vendo, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados.
Autor Desconhecido

setembro 07, 2014

Marcelo Ponteio. Violinista do Brasil.




MARCELO CARDOSO

CD Ponteio

Por Adriana Tessier
Itália.

Um estilo leve e amplo à improvisação permeia este CD de Marcelo Cardoso, guitarrista brasileiro ainda pouco conhecido na Europa, mas com grande técnica e interpretação.

O termo "Ponteio", que dá o título ao CD, é usado principalmente pelos músicos da "Viola Caipira", um instrumento muito especial amplamente utilizado na cultura regional brasileira, mas também já está presente em alguns conservatórios como nos cursos no Brasil. Ela possui dez cordas de aço, e tem 32 maneiras diferentes de afinação.
O termo "Ponteio" deriva das expressões "pontear as cordas", "pontear com dedos", isto é, tocar com a ponta dos dedos.

Não é só a referência a um instrumento típico, mas também na inscrição no interior da capa - "Este CD é dedicado ao meu pai e à minha mãe" - revelam um link doce para as origens que Marcelo Cardoso manifesta através de uma interpretação moderna, da tradição e uma expressão cheia de naturalidade, dos contrastes e 'a rica cultura brasileira’.

As dez músicas do disco, assinado, entre outros, por autores famosos, como Edu Lobo, Tom Jobim, Baden Powell, Garoto, Vinicius de Moraes, e as referências estilísticas inevitáveis ​​para a tradição Sul-Americana, além de agradável, muito próximo do estilo flamenco.

Marcelo Cardoso desvia do campo da originalidade da harmônica, porém previsível, sem privar os sujeitos de sua conotação simples, comunicativa e direta.
Inspiração, melodia, harmonia e improvisação parecem unir-se em algo tão inseparável, criando o cenário ideal a partir do qual faz surgir, às vezes imediatamente e às vezes de forma inesperada, os temas brilhantes, pungentes dessas belas melodias brasileiras, além de bem interpretado, foram organizadas pelo mesmo Marcelo Cardoso, para um, dois, três e quatro violões.

Apesar da inevitável mistura sofisticada, este trabalho mantém um registro "ao vivo", certamente livre do molde do intelectualismo europeu e que, embora baseado em uma base técnica absolutamente impecável, ele prefere a espontaneidade e o frescor da interpretação livre.

Interpretações, particularmente intensa da bela "Molambo" de Jaime Florence e Augusto Mesquita, o "Samba do Avião", de Tom Jobim e "Modinha", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, cujo tema, cheio de saudades, conclui a seqüência das dez belas músicas gravadas por Marcelo Cardoso.


Entusiasmo e habilidade em abundância não faltam neste belo CD de Marcelo Cardoso, que lindamente complementa e melhora a música, criatividade e sentimentos.

Assista o vídeo e conheça a arte de nosso ilustre Violinista...

Postagem by Josué moreijo - SP - Brasil.

Mais videos para você.

Outra seleção de videos para você use-os a vontade apenas coloque by moreijo ou #moreijo e diga sua opinião aguardamos sua colaboração......