Mostrando postagens com marcador Poema. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poema. Mostrar todas as postagens

fevereiro 23, 2017

Passado e passado.

Passado e passado...o que será que...como foi...já passou?↓

passado é uma parte do tempo e refere-se a todo e qualquer acontecimento em período de tempo anterior ao presente, sendo objeto da história, que identifica e classifica os eventos verificados.


Outras informações sobre Passado:

A Palavra Passado possui 7 Letras
A Palavra Passado possui 3 vogais - a a o 
A Palavra Passado possui 4 consoantes - p ss d 
A Palavra Passado ao contrário: Odassap 
Busca reversa Onomasiológica por Passado
Fonte: dicionarioinformal.com.br

Outra definição:

Expressão usada quando algo não está mais bom, já "passou" do ponto, está estragado, vencido, fora da validade.



O passado é contrastado com o presente. Está relacionado com um aglomerado de eventos que aconteceram num certo ponto do tempo, dentro do contínuo do espaço-tempo. A concepção acima descrita está relacionada com a teoria da relatividade de Albert Einstein. O passado é o objeto de vários campos como, por exemplo, a história, arqueologia, cronologia, geologia (geologia histórica), linguística histórica, direito, paleontologia e cosmologia.



Aqueles que não aprendem com o passado estão condenados a repeti-lo.
Stephen King
O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.
Fernando Pessoa

setembro 23, 2012

janeiro 21, 2011

Planeta em Furia


    
    No frio universo, algo de errado estava acontecendo, era uma desordem na estrutura do nosso Sistema Solar, por um único planeta, a Terra que parecia má com seus filhos e filhas, ela estava irada sem paciência ao ver tanta destruição. Tudo estava mudando, ela iria começar a agir. Foi quando um dos outros planetas percebeu que a Dama d’água como era conhecida a Terra, estava tentando mostrar que mandava na ordem natural das coisas.
    Vênus pergunta então porque de tanta revolta e a Terra logo responde:
   Meus filhos e filhas não estão sabendo se controlar, me destroem sem dó, arrasam tudo o que vêem pela frente. Vejo que precisarei fazer o que você fez no passado, quando deu a vida existente em seu solo, o seu hidrogênio e oxigênio ao universo, quando deixou de ser azul de água, e se tornou fogo. É Vênus, estou vendo que precisarei derramar-me em lágrimas de lama, para limpar o lixo das minhas montanhas que um dia foram verdes ou brancas. Gastar meu fôlego para varrer plantações desordenadas que destruíram minhas árvores, rachar meu chão para controlar o crescimento desordenado, onde um dia foram campos de vida selvagem.
    Vênus vendo a Terra aos poucos se despedaçando, pediu uma chance aos filhos a quem ela pedia respeito, e a Terra novamente em tom de raiva pergunta:
     Porque ter piedade daqueles que te destroem?
    Vênus mostra a ela que por mais que se destruísse para acabar com o próprio sofrimento, ela iria sofrer para sempre, pois iria se tornar inabitável e com um peso que poderia ser sua sina para querer o fim. A Dama então pergunta qual peso seria maior do que aquele que ela carregava.
    Com calma, Vênus diz que maior peso do que aquele é saber que havia ainda inocentes ali embaixo, que por mais que a mãe castigasse os filhos, ainda teriam aqueles que veriam algo errado, que compreenderiam sua fúria, e tentariam de algum jeito ajudar.  E que no final das contas, não valeria apena ficar com essas marcas de sangue. A Terra então se rende aos apelos. E pergunta a Vênus:
    Como sabia tanto sobre essa raça?
    A Deusa do Amor mostra a Dama d’água, que os habitantes que nela viviam a obrigaram ao sacrifício, e ela o fez, porém inocentes pagaram. Hoje ela é vermelha, do sangue inocente nela derramado e também sofre com as marcas de um planeta que não abriga vida, só a morte.
    A Terra desde então, tenta através de desastres, mostrar aos seus filhos que algo está errado, mas a maioria, ainda não percebeu que a Mãe adoece a cada dia e que matam a mesma a cada segundo.
Será que vale a pena ter tanta culpa? Ou será que ainda vale apena culpar poucos? O que falta a todos nós é o bom senso de que se cada um fizer um pouco como um pássaro apagando um incêndio na floresta com suas asinhas, o mundo seria melhor. Talvez com um cenário diferente, azul..

Autor do texto abaixo; Agradeço pela honra de ter suas palavras em nosso blog....

Blog do Autor:   
erivaldo-m.wixsite.com/renascerliterario

Por Erivaldo Manoel

dezembro 21, 2010

Eu sou.


Eu sou o amor nascido
Em tempos errados
Eu sou o tempo dos corações deixados
Eu sou um coração morto
Que amou muito de repente
Eu sou a morte de um coração doente
Eu sou o espaço em busca do infinito maior
Eu sou o infinito que me faz menor
Eu sou o caminho para passos lentos e pra alguém pisar
Eu sou a lentidão de um caminho que fica
Para o mesmo alguém voltar
Eu sou um poema que só falta um verso
Para que tenha fim
Eu sou a própria falta do verso e da vida
Porque falta eu em mim
Eu sou um erro cometido
No momento exato
Eu sou um momento errado,mas eu sou um fato
Que dele se tira
A palavra " AMOR"

Autor desconhecido

novembro 10, 2010

As Estrelas

Lá, nas celestes regiões distantes,
No fundo melancólico da Esfera,
Nos caminhos da eterna Primavera
Do amor, eis as estrelas palpitantes.


Quantos mistérios andarão errantes,
Quantas almas em busca da Quimera,
Lá, das estrelas nessa paz austera
Soluçarão, nos altos céus radiantes.


Finas flores de pérolas e prata,
Das estrelas serenas se desata
Toda a caudal das ilusões insanas.


Quem sabe, pelos tempos esquecidos,
Se as estrelas não são os ais perdidos
Das primitivas legiões humanas?!

Obtida de "http://pt.wikisource.org/wiki/As_Estrelas_(Cruz_e_Sousa)"


http://pt.wikisource.org/wiki/Autor:Cruz_e_Sousa

Tiamat ou planeta Terra?

  Segundo Zecharia Sitchin( teórico que defende a origem da humanidade a seres extraterrestres) , existe seres cujo nome e conhecido como ...